domingo, 30 de setembro de 2012

Os desafios na vida do novo cristão

Resolvendo problemas entre os irmãos

A Bíblia afirma: “É inevitável que venham escândalos” (Lucas 17:1). No entanto, devemos estar atentos para o fato de que o conflito pode ocasionar pelo menos dois perigos.

Primeiro: conduta ímpia. “Ira” é perigoso. Uma pessoa irada diz coisas prejudiciais que agravam o problema (Provérbios 15:18). É possível que os irmãos até esqueçam a questão inicial, mas fiquem de mal por causa do ressentimento que tomou conta deles. “Segui a paz com todos . . . nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe” (Hebreus 12:14-15). A amargura é uma raiz forte e profunda que, como uma grama na calçada, pode minar um alicerce sólido. Cuidado com os seus resultados: o ódio, as discussões, os ciúmes, acessos de ira e dissensões. “Não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam” (Gálatas 5:20-21; Tiago 3:13-16).


Segundo: impacto negativo na vida dos outros. O versículo que adverte contra a amargura diz: “Nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados” (Hebreus 12:15). Outras pessoas podem ser envolvidas na situação e ser tentadas a pecar. “Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar” (Mateus 18:6). Não demora muito para devastar uma igreja, nem é tão difícil! (1 Coríntios 5:6)

Como resolver os problemas

Nas “coisas desta vida . . . por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, o dano?” (1 Coríntios 6:3,7).

Mas quando há pecado em jogo, deve ser enfrentado. “Se teu irmão pecar [contra ti], vai arguí-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano” (Mateus 18:15-17). Aqui Jesus oferece quatro etapas para a solução dos problemas entre os irmãos.

Ir. Se a culpa é do outro, vá a ele. Se é sua, vá a ele (Mateus 5:23-24). Não diga: “A culpa é dele; ele é que tem de se desculpar para mim”, nem “Se ele tem um problema comigo, ele deve vir falar comigo a respeito”.
 Repreender“Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o” (Lucas 17:3). No entanto, lembre-se de falar “a verdade em amor” (Efésios 4:15). Como Paulo instruiu a Timóteo: “Corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina” (2 Timóteo 4:2).
Ž Perdoar“Se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe” (Lucas 17:3-4). Jesus nos ensinou a perdoar os outros para que Deus nos perdoe (Mateus 11:25-26). Deus nos perdoou tanto que não devemos impor limites para perdoar (Mateus 18:21-35). Jesus demonstrou perdão na cruz (Lucas 23:34).

Retirar-se. Quando um homem, em particular, procura falar com um irmão sobre o seu pecado e este se recusa a ouvir, ele deve levar uma ou duas testemunhas para abordá-lo novamente. Se ainda não quiser escutar, deve ser levado diante de toda a igreja. O objetivo é “ganhá-lo” (Mateus 18:15). Se ele se recusa a escutar a igreja, ele está andando desordenadamente (pensando num estilo de vida e não num fato isolado) e foi encorajado repetidas vezes para mudar o seu procedimento. Os cristãos devem afastar-se dele e não manter seu contato social com ele (2 Tessalonicenses 3:6,14). Ele ainda é bem-vindo como irmão na assembléia (“adverti-o como irmão” – 2 Tessalonicenses 3:15), mas não nos eventos sociais, nem mesmo nas refeições (1 Coríntios 5:11). Essa recusa de “ficar na companhia” dele é descrita como entregá-lo “a Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor [Jesus]” (1 Coríntios 5:5) e tem por objetivo envergonhar a pessoa (2 Tessalonicenses 3:14). O resultado desejado é salvar o espírito (1 Coríntios 5:5), mas, de qualquer forma, a igreja está limpa, purificada do mal (chamado “fermento” devido a sua capacidade de se espalhar rapidamente – 1 Coríntios 5:6).

Qualquer coisa que você faça, aja rápido. A resolução dos problemas entre irmãos deve acontecer antes de adorarmos a Deus. “Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma cousa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta” (Mateus 5:23-24). “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo” (Efésios 4:26-27).

–por Gary Copeland

terça-feira, 29 de maio de 2012

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Quando não oro

Eu preciso saber que todos os dias vivo na dependência do Deus que me criou, que me amou e que trabalha em meu favor. Aquele a quem acolhi em meu coração e entreguei a minha vida e minha eternidade.
Mas existem dias em que eu não quero Seus conselhos, pois, me acho completamente dona de mim e do meu destino. Há dias em que escolho andar sozinha e descobrir onde eu posso chegar.
Esses, são os piores dias da minha vida. São os dias em que os meus erros são mais gritantes, que minhas estradas certamente me encaminharão a um lugar de dores dilacerantes, de lágrimas abundantes e de trevas e confusão.
Quando não oro fico fragilizada, indefesa, perdida, à mercê da boa vontade cristã de alguém menos tola que eu. Quando não oro, gero atitudes que atingem outras pessoas, ações dignas de arrependimento, dessas que deixarão minha cabeça baixa, meu coração contrito e ferido, meu olhar caído e meu sentimento limitado a dor e ao sofrimento.
Quando não oro, me emburreço, me esqueço das promessas, das palavras do Mestre, da estrada que é O caminho.
Orar muda tudo, não orar, talvez mude também, no entanto, me levará na direção contrária e me afogará no medo e na incerteza da vida.
Boa noite.

domingo, 25 de março de 2012

Louvado



Louvado seja Deus pelos seus benefícios, pelo seu imenso amor, pelo seu cuidado e proteção!

Louvado seja Deus pelo exercício da sua fidelidade a um povo fraco e infiel. Louvado seja Deus pela sua justiça e misericórdia!

Que nosso coração esteja diante dele, dia após dia, derramado e quebrantado! Em nome de Jesus, amém!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Lean on me

Ano novo... a vida continua

Geralmente as pessoas utilizam a frase "ano novo, vida nova" quando um ano termina e outro começa. Mas, para muitos o ano é novo enquanto a vida é a mesma e não há expectativas de mudança ou renovo.

No entanto, a melhor forma de se fechar um ciclo e iniciar outro, é debruçar todos os planos e anseios nas mãos DAQUELE que pode transformar todas as circunstâncias, seja no começo, meio ou fim do ano. A ação de Deus é atemporal. Ele não se detém, não se limita, não espera, mas realiza todos os Seus propósitos no tempo em que Ele mesmo determinou para que as coisas aconteçam.


Estar em Suas mãos é gozar de uma segurança e paz que não se pode encontrar em nenhum outro lugar. Na verdade, é espantoso imaginar que o Inventor de todas as coisas do Universo reserva um espaço na Sua agenda celestial para traçar planos para nossas vidas, observar nossos sentimentos, curar nossas dores e moldar nosso caráter.
Todavia, nenhum começo poderá ser novo sem que estejamos onde Ele está.

Para 2012, desejo que estejamos no centro da vontade de Deus, observando onde sua graça está sendo manifesta, e juntando-nos a Ele.

Ele está presente o tempo todo, venhamos e estejamos diante Dele.



Shalom Adonai